20fev

Piscina biológica

As piscinas biológicas ou ecológicas, é uma opção mais natural e bucólica para se projetar uma área aquática, ou melhor, um lago artificial. A ideia inicial é eliminar o cloro e outros produtos químicos que agridam pele, cabelo e que possam proporcionar um bem estar mais natural.
Para isto é necessário um projeto específico, onde a geometria, a topografia, o isolamento com o solo, tipos de plantas aquáticas e pedras naturais se harmonizem para essa biodiversidade, purificação, lazer e beleza.

A piscina biológica é dividida basicamente em 2 estações, um para o área de banho propriamente dito e outro é a área de purificação biológica com as pedras e as plantas. A purificação mecânica com um filtro pode ser incluída no projeto, pois este que suga folhas e outros detritos da superfície, como nas piscinas tradicionais.

Leia mais »

21maio

Sauna-mirante nas colinas italianas

Está começando o inverno e a gente mostra aqui uma sauna no meio de uma região bucólica da Itália só para você ficar na vontade.

A sauna localizada nas colinas de Placência na Itália foi construída com madeira de Abeto, um tipo de pinheiro e feita para acomodar até duas pessoas. Já Para aquecer a sauna é utilizada madeira da região em um forno a lenha.

O projeto é do estúdio AtelierFORTE que vem criando saunas deste tipo desde 1994 e para este projeto especificamente o nome do mesmo (Hugin e Munin) provém da mitologia nórdica e significa ‘pensamento’ e ‘memória’ e segundo a wikipedia são representados por dois corvos que voam por todo o mundo conhecido.

  

Fonte: Luxticker

9maio

O descaso com o saneamento básico brasileiro

A publicitária e leitora do blog Amanda Vettore que trabalha na Desemtupidora 18 do Forte mandou para a gente um post muito conscientizador sobre o saneamento básico no Brasil. Então hoje o espaço é dela aqui no blog:

Brasil, o país da Copa do Mundo de 2014, das Olimpíadas de 2016, do Carnaval, de uma das sete maravilhas do mundo (Cristo Redentor), das belas praias e lugares de paisagens límpidas, coloridas, vivas e ricas em fauna e flora. Chega até ser poético pensar na nação brasileira desta forma. Entretanto, a realidade pregada é inodora, incolor e insípida.

Segundo informações do Censo do IBGE de 2008, divulgado no final do ano passado, cerca de 55% dos brasileiros não possuem rede de tratamento de esgoto próximo às suas casas. Além disso, dados da Organização das Nações Unidas apontam que moradores de zonas rurais são os que mais sofrem, já que de cada 100 pessoas, 97 não possuem acesso à água canalizada.

Alguns residentes não têm assistência ou mesmo auxílio da prefeitura local para poderem criar uma fossa séptica, quanto mais para conseguirem manter um processo de desentupimento. A água dessas pessoas vem com mau cheiro, cor e gosto amargo de uma realidade fora do que é divulgada pelos grandes governantes. Parte deles ainda desconhece o significado da palavra sustentabilidade e da importância do ‘verde’.

De acordo o Ministério das Cidades e a Lei do Saneamento Básico (Lei 11.445), a universalização dá água é prevista para acontecer em até 20 anos, mas com os grandes eventos batendo à porta do Brasil, será possível esperar tanto tempo para o bem-estar social e sustentável da população?

Em ano de eleição, o jeito é escolher o candidato que realmente possa fazer a diferença em seu município, e, que acima de tudo, possa encontrar a melhor solução àqueles que sofrem com a ineficiência do tratamento de esgoto e água potável.

Abaixo, você confere a lista das 10 cidades com os piores resultados em saneamento em 2009, no país:

  • Canoas (RS)
  • Jaboatão dos Guararapes (PE)
  • Macapá (PA)
  • Ananindeua (PA)
  • Nova Iguaçu (RJ)
  • Belém (PA)
  • São João de Meriti (RJ)
  • Belfort Roxo (RJ)
  • Duque de Caxias (RJ)
  • Porto Velho (RO)

Fonte: Instituto Trata Brasil

20abr

Mesa com bobina de cabos

Mais uma imagem inspiradora para reutilizar essas bobinas de cabos. Já fizemos aqui uma lista com 4 ideias bacanas com bobinas e essa é mais uma para a nossa lista. Infelizmente não encontrei informações sobre esse projeto.

3abr

Parquinho com hélices de turbina eólica

 

Em Roterdã na Holanda um parquinho para crianças está ganhando todas as atenções ao utilizar como matéria prima velhas hélices de turbinas eólicas.

A criação é dos arquitetos da 2012Architecten que utilizaram 5 hélices descartadas para construir o parquinho Wikado, um parquinho de 1200 m² com todo o tipo de diversão.
Tem escorregador, túnel, rede para escalar, torre de observação, pontes, casinha e tudo mais.

O projeto foi entregue em 2007 e desenvolvido para uma fundação dedicada a promover atividades para crianças da cidade.

Entre os designers envolvidos no projeto estão Jeroen Bergsma, Césare Peeren e Jos de Krieger.

Fonte: Gizmodo Australia

Outros Blogs